Plantamos eucalipto e

colhemos cachaça.

Garrafa.jpg

Tudo começou, há mais de 20 anos, numa cidadezinha chamada Liberdade que fica lá no topo da Serra da Mantiqueira. A ideia era ter uma reserva de eucaliptos de reflorestamento para abastecer diversos mercados. Tudo foi estudado e criteriosamente planejado. As mudas foram plantadas e o passo seguinte era esperar até o ponto certo do corte.

 

O problema é que o eucalipto demora anos para crescer e nesse meio tempo, o clima frio e o ambiente aconchegante fizeram da fazenda um ponto de encontro para uma infinidade de amigos. Agora responda: O que é que os amigos fazem numa fazenda com clima frio?  Bebem.

 

As fazendas vizinhas passaram a solicitar lenha para produção de cachaça nos alambiques e de vez em quando, vinham generosas cortesias. Para driblar a sede dos funcionários e fazer a cachaça chegar ao destino, foram utilizadas garrafas de uísque identificadas apenas com o W! Toda vez que uma visita pedia uma boa cachaça, alguém dizia: “pega aquela com o W! ”

 

Mas faltava alguma coisa. Decidimos fazer do nosso jeito.

 

Depois de milhares de provas e tempo de sobra, chegamos em até 10 anos de envelhecimento em barris de madeiras especiais, enquanto nos dedicávamos a alquimia dos blends. Assim, conseguimos chegar ao sabor único, encorpado e macio, especialmente produzido para ser apreciado em cálices.

 

Hoje, a fazenda produz madeira de reflorestamento, cachaça e, com o plantio de centenas de oliveiras, futuramente produziremos azeite. Mas isso é assunto para outra dose. Saúde!